Foto: Fábio Pozzebom | Agência Brasil

Nesta quinta-feira, 23, a Anvisa determinou que lotes de medicamentos contendo o princípio ativo losartana fossem interditados e recolhidos. A presença da impureza “azido” em concentração acima do limite de segurança aceitável foi detectada nesses lotes.

As impurezas azido são substâncias que podem surgir durante o processo de fabricação do insumo farmacêutico ativo e que tem potencial mutagênico.

Os pacientes que fazem uso da losartana devem continuar utilizando o seu medicamento, ainda que estejam usando um dos lotes afetados. A losartana é o anti-hipertensivo e um dos medicamentos para insuficiência cardíaca mais utilizado no Brasil.

A medida de interdição e recolhimento é preventiva e serve para adequar os produtos utilizados no Brasil aos limites técnicos previstos para a presença deste contaminante.

O prazo máximo regulamentar para conclusão do recolhimento dos produtos contendo losartana é de até 120 dias, contados da data da publicação da resolução que determinou o recolhimento (23/06/2022).