Apresentação na Ópera de Arame também comemora os 30 anos de carreira do grupo

Para celebrar as duas décadas do disco Rebirth, um dos maiores sucessos de sua carreira, a banda Angra realiza a Rebirth 20th Anniversary, que tem uma parada em Curitiba neste domingo, 26 de junho, na Ópera de Arame, um dos melhores e mais bonitos espaços para shows na cidade. O grande sucesso da atual turnê fica comprovado pelo fato de todos os ingressos terem sido vendidos.

O álbum Rebirth foi lançado em 2001 e marcou um recomeço na história do Angra, que apresentava uma nova formação aos fãs na entrada do novo milênio. O trabalho conceitual era um reflexo das mudanças recentes e trazia uma aura motivadora e otimista. O resultado foi um imenso sucesso junto aos fãs.

O guitarrista Rafael Bittencourt comenta o sentimento de celebrar este álbum após duas décadas: “Os sentimentos de celebrar esse trabalho hoje em dia são vários. Era virada pros anos 2000, toda aquela expectativa de que o mundo estava se renovando, e a banda também. Com muitas incertezas, não sabíamos se os fãs iam gostar da nova formação, das novas músicas; se as gravadoras iriam apoiar. Depois os fãs nos receberam bem, os shows foram todos lotados e começamos uma nova onda. Pessoas que ainda não conheciam o Angra, passaram a curtir nessa fase, então foi uma fase muito emblemática para a banda”.

Sobre o repertório, o músico, membro fundador do Angra, explica: “Tocamos o Rebirth na sua íntegra, e depois pelo menos uma música de cada álbum. Então a gente toca uma música do Angels Cry, uma do Holy Land, do Fireworks, uma do Temple of Shadows, Aurora Consurgens, Aqua, Secret Garden e Omni. Pode-se dizer que o show tem duas etapas: vinte anos de Rebirth e trinta anos de banda”.

A apresentação de abertura ficará por conta da experiente banda gaúcha Rage in My Eyes, que iniciou as atividades em 2002 com o nome Scelerata, e lançou mundialmente quatro álbuns. Foram a banda oficial brasileira de apoio do ícone Paul Di’Anno (ex-Iron Maiden) de 2009 a 2014, realizando mais de 50 shows com o vocalista. Dividiram palco com lendas do Heavy Metal como Deep Purple, Gamma Ray, Kamelot e Edguy, entre outras. Com a troca do nome em 2018, o conjunto lançou o álbum Iron Cell, e em 2020 veio o mais recente lançamento, o EP Spiral, com cinco faixas inéditas. Por ser do sul, entregam um tipo de Metal nunca ouvido antes, misturando Heavy e Prog Metal com elementos da Milonga – gênero musical do Sul do Brasil, Uruguai e Argentina – e uso do acordeon. O guitarrista e principal compositor, Magnus Wichmann, é neto do legendário músico gaúcho Teixeirinha.

Também integra a programação da noite a banda paulista Trend Kill Ghosts, formada em 2018 pelos amigos Diogo Nunes (vocal), Rogério Oliveira (guitarra), Fábio Carito (baixo) e Leandro Tristane (bateria), que apostam no power metal/metal melódico. A banda tem como referências diversas vertentes do power metal, com nomes como Gamma Ray, Helloween, Avantasia, Edguy, Savatage e Stratovarius. No começo do mês, o conjunto disponibilizou o single “Phoenix”, que serve de prévia para o segundo álbum, que pretendem lançar em breve. A estreia veio com o CD Kill your Ghosts, lançado em julho de 2019. Para esta primeira vez em palcos curitibanos, a banda contará também com a participação especial da vocalista Vanessa Rafaelly, uma das maiores referências de canto na cidade, que atua em diversas bandas de música autoral e tributos, inclusive na Seyren, tributo ao Nightwish.

Serviço
Angra em Curitiba
Abertura: Rage in my Eyes, Trend Kill Ghosts
Data: 26 de junho de 2022 (domingo)
Local: Ópera de Arame
Endereço: Rua João Gava, 920 – Abranches
Horários: 18h (portões), 19h10 (bandas de abertura),  21h10 (Angra)

Classificação etária: 16 anos (menores de 16 acompanhado com responsável legal)
Ingressos: ESGOTADOS

* A organização do evento não se responsabiliza por ingressos comprados fora dos pontos de venda anunciados

** Será proibida a entrada de câmeras fotográficas/filmadoras profissionais e semiprofissionais.

Informações: www.abstratti.com e (41) 3355-6072

Histórico

O Angra surgiu no começo dos anos 1990 com uma proposta de mesclar influências da música brasileira com o peso, velocidade e melodia do Heavy Metal. O primeiro álbum, Angels Cry (1993) foi aclamado internacionalmente, incluindo o mercado japonês, consumidor ávido do Metal Melódico. O trabalho seguinte, Holy Land, se aprofundou ainda mais nas referências culturais do país, e sacramentou o grupo como um dos mais importantes do cenário mundial. Após diversas turnês pela Europa, a banda trabalhou no lançamento do terceiro disco, Fireworks, que novamente mudava as diretrizes sonoras, porém sem descaracterizar a identidade musical do quinteto.

Após a turnê foi anunciada a saída de três membros do grupo, o que deixou o Angra com uma complicada tarefa: encontrar novos músicos e mostrar que ainda era uma potência mundial, missão esta que o Angra tirou de letra. Reformulada, a banda lançou Rebirth (2001), um álbum coeso e alinhado com o melhor que o Metal oferecia na época. A turnê foi um sucesso, com mais de 100 datas em diversos países, e ainda rendeu um novo lançamento: o EP Hunters and Prey. O Angra segue em atividade até hoje, sempre celebrando seu legado e lançando trabalhos de inquestionável qualidade.

Assim como haviam feito com os discos Angels Cry e Holy Land, agora é a vez da Rebirth 20th Anniversary, que revisita com honestidade um dos grandes momentos da carreira do Angra. Os shows prometem momentos de pura nostalgia ao resgatar músicas que marcaram época.

Foto: Clovis Roman