O saldo da balança comercial deve ficar em US$ 42,3 bilhões neste ano, com queda de US$ 400 milhões em comparação à estimativa da semana anterior.

O saldo da balança comercial (exportações menos importações) deve ficar em US$ 42,3 bilhões neste ano, com queda de US$ 400 milhões em comparação à estimativa da semana anterior, feita por analistas de mercado e de instituições financeiras ouvidos pelo Banco Central para sentir as tendências dos principais indicadores econômicos.

Houve redução na estimativa de saldo comercial também para 2008: de US$ 37 bilhões para US$ 36,1 bilhões. Com isso, caem também as perspectivas de saldo de conta corrente, que envolve todas as transações comerciais e financeiras com o exterior. As estimativas baixaram de US$ 11 bilhões para US$ 10,75 bilhões neste ano, e de US$ 5 bilhões para US$ 4,60 bilhões no ano que vem.

Os prognósticos constam do Boletim Focus divulgado ontem pelo BC, que aponta leve melhora no crescimento da economia. A estimativa de 4,70% para o aumento do Produto Interno Bruto (PIB), soma das riquezas produzidas no país, passou para 4,71% (4,40% em 2008); e a projeção de crescimento da produção industrial evoluiu de 4,96% para 4,98% (4,50% em 2008).

Os números são suficientes para revisar a relação dívida/PIB de 43,64%, na semana anterior, para 43,54%. Significa dizer que 43,54% de tudo que o país produzir neste ano estará comprometido com o pagamento da dívida líquida do setor público. Os analistas projetam que essa relação cairá para 42% no final de 2008.

A pesquisa projeta melhora de US$ 27,35 bilhões para US$ 28 bilhões em relação à entrada de investimento estrangeiro direto (IED) no setor produtivo, como parte de um cenário de mercado no qual 2007 termine com o dólar cotado a R$ 1,90 e a taxa básica de juros (Selic) em 11%. O câmbio está estimado em R$ 1,95 no final de 2008, quando a taxa de juros presumida é de 10%.