Argentinos de duas das principais províncias do país foram às urnas e elegeram, neste domingo, um governador contrário ao presidente Nestor Kirchner.

O primeiro governador socialista da história da Argentina, contrário a Kirchner, foi eleito governador da província de Santa Fé, a segunda mais rica do país.

Hermes Binner, da Frente Cívica, Progressista e Social, recebeu 48,6% dos votos, derrotando o ex-ministro das Relações Exteriores, Rafael Bielsa, da Frente para a Vitória, que teve aproximadamente 38,6% dos votos.

Bielsa teve apoio do presidente e da primeira-dama, senadora e presidenciável Cristina Fernández de Kirchner. O casal Kirchner participou, nos últimos dias, de comício ao lado de Bielsa, em Santa Fé.

Mas as urnas confirmaram a previsão das pesquisas de opinião que davam vitória para Binner. Ele teve o apoio da presidenciável da oposição Elisa Carrió.

O socialista e médico Hermes Binner será também o primeiro governador da província que não é do peronismo – das fileiras do Partido Justicialista ou de seus seguidores, como os integrantes da Frente para a Vitória – a chegar ao cargo em 24 anos de democracia.

Vaias

"Acabei de receber ligação do presidente Kirchner me felicitando", disse Binner, levando o público a reagir com vaias.

"Não concordo. Não concordo. Temos que pensar no bem da província e não em atitudes assim", afirmou o governador eleito.

Por sua vez, Bielsa declarou que teve "forte apoio" do presidente, e que a derrota é só dele. "A derrota é minha e de ninguém mais", afirmou.

Segundo o candidato opositor à Presidência argentina pela coalizão UNA, Roberto Lavagna, ex-ministro da Economia do governo Kirchner, a vitória de Binner foi uma mensagem "pacifica" do eleitorado ao governo, quando falta tão pouco para as eleições presidenciais.

Córdoba

A derrota de Kirchner em Santa Fé está sendo compensada na província de Córdoba, onde dois candidatos vistos como aliados do governo disputam a eleição palmo a palmo.

Segundo números do jornal Clarín, com 76,84% das urnas apuradas, o atual vice-governador da província, Juan Schiaretti, somava 37,41% dos votos.

Já Luiz Juez, prefeito da capital, a cidade de Córdoba, tinha 35,5% dos votos.

Córdoba é a terceira maior província da Argentina em termos econômicos, depois de Santa Fé e de Buenos Aires, a maior do país.

"Eu estou ganhando com 8%. O resto é mentira", repetia neste domingo Luis Juez a diferentes emissoras de rádio e de televisão em Córdoba.

As eleições para governador de Santa Fé e de Córdoba foram as últimas antes do pleito presidencial de 28 de outubro, quando os argentinos vão eleger presidente, vice, e os governadores das províncias de Buenos Aires e de Santa Cruz, na Patagônia (terra de Kirchner).

As pesquisas indicam que Cristina Kirchner venceria no primeiro turno do pleito, como confirmou à BBC Brasil a analista Graciela Römer, da consultoria Romer e Associados.

"A candidatura dela e a imagem positiva do presidente (de cerca de 60%) parecem blindadas, e é quase impossível imaginar um segundo turno das eleições presidenciais", disse Römer.