AIEA afirma que Irã passa a impedir inspeções surpresa em instalações nucleares do país

256
Foto: twitter.com/Radio1Rai

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirma que, a partir de terça-feira, o Irã vai deixar de permitir que inspeções surpresa sejam conduzidas nas instalações nucleares do país. Contudo, por ora, Teerã vai continuar a permitir que a agência realize atividades de monitoramento e as verificações necessárias.

A AIEA emitiu uma declaração depois de seu presidente, Rafael Grossi, ter se encontrado com o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, no domingo, enquanto em visita ao país.

A declaração afirma que o Irã vai “suspender a implementação de medidas voluntárias conforme previsto” no acordo nuclear de 2015 com potências mundiais.

O documento também afirma que os dois lados chegaram a um “acordo técnico bilateral temporário, sob o qual a AIEA vai continuar com suas verificações necessárias e com as atividades de monitoramento por até 3 meses”.

Grossi falou a repórteres, ainda no aeroporto, ao desembarcar em Viena. Segundo o ele, o Irã vai passar a oferecer “menos acesso” a suas instalações nucleares.

Por outro lado, a Organização de Energia Atômica do Irã afirma que vai compilar dados sobre atividades de suas instalações nucleares e oferecê-los à AIEA, somente se os Estados Unidos retirarem as sanções econômicas impostas contra Teerã. A agência iraniana ameaçou deletar os dados caso as sanções não sejam suspensas.