A salvação da lavoura

278

Como a prioridade do Governo do Estado estava centrada na ampliação das fontes de turismo, com destaque para seu desenvolvimento regional, e a pandemia atrapalhou as ações de divulgação e marketing para o segmento, o governador Ratinho Jr aposta, agora, no agronegócio, uma das principais fontes de recursos do Paraná.

Para vender o Estado no setor do agronegócio, o governador, em encontro com o embaixador do Irã no Brasil, Hussein Gharibi, manifestou interesse em ampliar a venda de produtos do campo àquele país que é, hoje, o maior importador de milho paranaense.

Ratinho Jr relatou que o Estado tem vocação agrícola e é sede das principais cooperativas da América Latina. Ele citou o crescimento de 2,3% no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2020, mas disse que os reflexos da pandemia serão sentidos nos próximos meses e que o Paraná busca ampliar a atração de investimentos para gerar novos empregos.

A peste avança

O Paraná registrou 44.587 casos de Covid-19 nas quatro semanas epidemiológicas de julho, crescimento de 164,5% em relação aos 16.855 casos notificados no mesmo período de junho, segundo boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde neste domingo (26). A análise leva em consideração a data de diagnóstico, não a data de divulgação, e as semanas epidemiológicas 23 (que engloba o último dia de maio) a 30 (até 25 de julho).

Onde cresceu mais

Nesse recorte, o aumento de casos foi mais expressivo nas macrorregionais Leste (Curitiba/Região Metropolitana/Litoral/Campos Gerais), de 292,2%, e Norte (Londrina/Apucarana/Jacarezinho), de 133%. No primeiro caso a diferença foi de 18.991 casos a mais (de 6.499 nas quatro semanas epidemiológicas de junho para 25.490 casos em julho); no segundo, de 3.127 (de 2.351 casos para 5.478).

Indícios de fraude

O Ministério Público pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) nesta segunda-feira (27) a apuração de propagandas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) em sites suspeitos de divulgar fake news. O pedido é do procurador Lucas Furtado. Ele acredita que o mesmo padrão de patrocínio já observado no Banco do Brasil pode estar acontecendo com BNDES e BNB.

Contratos suspensos

Em maio, o TCU suspendeu parte dos contratos de publicidade do BB, relacionados a propaganda em sites, blogs, portais e redes sociais. A decisão não incluiu a divulgação em veículos existentes há mais de dez anos. O objetivo da medida é evitar o financiamento indevido de propagadores de notícias falsas.

Abuso de autoridade

O PT afirmou, em nota, que as operações da Polícia Federal (PF) na casa e no gabinete da deputada federal e primeira-dama do Piauí, Rejane Dias, são abuso de autoridade e perseguição política movida pelo presidente Jair Bolsonaro e aliados. Na manhã desta segunda-feira, 27, a PF deflagrou a terceira etapa da Operação Topique para investigar supostos desvios de recursos da Educação do Estado.

Rosa Weber autoriza PF

Menos de uma semana após ser barrada na porta no Senado, a Polícia Federal voltou ao Congresso nesta segunda-feira, 27, para executar mandados de busca e apreensão no gabinete da deputada federal Rejane Dias (PT-PI). Desta vez, porém, houve uma autorização prévia da ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, para que a operação fosse realizada.

Vacina avançada

O laboratório Moderna Inc. afirmou que iniciou o estágio final de testes em uma candidata a vacina para a covid-19, com apoio do governo dos Estados Unidos. Este é a primeira pesquisa a ser implementada no programa anticoronavírus “Operation Warp Speed”, do governo de Donald Trump.

 Super ricos mais ricos

O patrimônio dos bilionários brasileiros aumentou US$ 34 bilhões (cerca de R$ 176 bilhões) durante a pandemia de coronavírus, segundo um levantamento da ONG Oxfam divulgado nesta segunda-feira (27). Segundo o estudo da organização, entre 18 de março e 12 de julho, o patrimônio dos 42 bilionários do Brasil passou de US$ 123,1 bilhões para US$ 157,1 bilhões. Os dados compilados pela Oxfam foram extraídos da lista dos mais ricos da Forbes.

Boca torta

Diz o dito popular que o uso do cachimbo deixa a boca torta. O expediente de recorrer a artifícios legais e a medidas extremas sob o pretexto de conter ilegalidades ou extremismos alheios acaba igualando a todos num fumacê perigoso e atentatório às liberdades.

Grande risco

O maior risco às democracias hoje, como se sabe, não são golpes ou revoluções, mas a corrosão lenta, gradual e metódica de seus pilares por parte daqueles (governantes, partidos, legisladores, juízes, procuradores) que deveriam zelar pela sua preservação. Com um governo como o de Jair Bolsonaro, de propensão abertamente autoritária, opaca e antidemocrática, o risco é diário, inclusive nas ações que outras forças (Poderes, instituições, grupos políticos) tomam para tentar contê-lo.

Meia volta, volver

Os números falam por si. Sob o governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro, cresceu em 33% o número de militares da ativa em cargos comissionados. Ampliando o escopo para todos os postos, chega-se a quase 2.900 fardados do serviço ativo na condição de agregados —ou seja, emprestados para funções civis, o que por lei pode durar até dois anos.

Tomaram conta

O universo militar na administração pública é ainda maior, chegando a 6.157 quando a conta inclui o pessoal da reserva ou aposentado. A formação desse éthos militar, personificado por 9 de 23 ministros com origem nos quartéis, é indesejável tanto para o governo quanto para as Forças Armadas.

Novo Fundeb

O novo Fundeb vai possibilitar uma expansão de recursos para a educação que tira ao menos 46% dos municípios brasileiros da condição de subfinanciamento. O esforço fiscal não será trivial. O novo modelo exigirá da União mais do que o dobro de dinheiro hoje destinado pelo fundo ao financiamento da educação básica. O gasto por aluno no Brasil não chega à metade da média de países desenvolvidos, e isso será impactado. Porém, há discussões sobre a pertinência de se elevar esses gastos.

Depende da China

A despeito do tom belicoso nas declarações do governo Bolsonaro em relação à China, as exportações brasileiras estão cada vez mais dependentes do apetite do comprador chinês. De 2001 até o ano passado, a participação chinesa nas vendas do Brasil saltou de 1,9% para 28,5%. Com a crise global desencadeada pelo novo coronavírus, essa fatia subiu para 33,8% no primeiro semestre deste ano – um terço dos US$ 101,7 bilhões exportados pelo País de janeiro a junho teve como destino a China.

Vereadora de Curitiba é conduzida ao Gaeco em investigação sobre ‘rachadinhas’

segunda-feira, 27 de julho de 2020 – 9:24 hs

A vereadora de Curitiba Fabiane Rosa (PSD) foi conduzida ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na manhã desta segunda-feira (27). Ela foi levada para a sede do Gaeco, bairro Ahú, após cumprimento de mandados de busca e apreensão no gabinete dela, na Câmara Municipal, no Centro da capital.  As investigações apontam que a parlamentar é suspeita de um esquema de rachadinha – quando o político recebe parte do salário do seus funcionários comissionados.

Moro, o queixoso

O ex-ministro da Justiça Sérgio Moro disse em entrevista ao jornal britânico Financial Times que o governo de Jair Bolsonaro usou sua presença na equipe ministerial como desculpa para demonstrar que medidas anticorrupção estariam sendo tomadas. O ex-ministro afirmou que o governo não estava fazendo muito e que esta agenda tem sofrido reveses desde 2018, quando Bolsonaro se elegeu.

Todos devem pagar

A primeira parte do programa de reforma tributária entregue pelo governo federal ao Congresso teve o tema “Quando todos pagam, todos pagam menos”. Não é bem assim. Apesar da iniciativa de substituir PIS/Pasep e Confins inicialmente sobre folha de pagamento, importação e receitas por um único tributo, a CBS, a lista de isenções continua grande e ainda inclui templos religiosos, sindicatos – e, claro, partidos políticos.

Mais reforma

Ainda a reforma tributária: outra exceção à nova regra é a Zona Franca de Manaus, que continua mantida. A alíquota da nova CBS será de 12%, mas bancos, planos de saúde e seguradoras ficarão na forma antiga com alíquota de 5,9%. E partidos políticos também gozam de isenções em Portugal como IVA, IPRJ, imposto sobre sucessões, doações e outros.

Frases

“Ninguém morreu por falta de médico. Todos os recursos o governo passou para os estados e municípios.”

Jair Bolsonaro