Texto, escrito há 13 anos, foi atualizado. A nova montagem é apresentada com legenda para atender aos portadores de deficiência auditiva.


O Teatro Novelas Curitibanas, espaço da Prefeitura administrado pela Fundação Cultural de Curitiba, apresenta de 13 a 30 de setembro o espetáculo “A Feia”. O texto, escrito há 13 anos por Cleide Piasecki, foi atualizado para aprofundar a discussão sobre temas como o preconceito, a intolerância e a banalização da morte. A peça também ganhou legendas para atender aos portadores de deficiência auditiva, numa iniciativa inédita no país.

A montagem estreou em 1994, fez temporada no Festival de Teatro de Curitiba, participou de vários festivais pelo país e conquistou sete prêmios Troféu Gralha Azul nas categorias melhor espetáculo, texto, direção, ator, atriz, ator coadjuvante e figurino. A nova montagem foi encenada em junho passado, no Teatro José Maria Santos e no Festival de Inverno de Antonina.

A peça conta a história de um casal acusado de matar a filha, por eles batizada de “Feia”, que nasceu com deformidades físicas, o que, segundo seus conceitos, era inaceitável. À medida que os fatos que culminaram com a morte da menina são apresentados no julgamento, há uma reconstituição da sua vida desde o nascimento até a morte aos quatorze anos. Os fatos são interligados a mitos baseados em textos bíblicos, para investigar as possíveis origens do preconceito na sociedade e conduzir o espectador a uma profunda reflexão sobre esse tema.

O espetáculo, montado pela Bernandantes Companhia de Artes, é o primeiro a ser apresentado com legenda no país. Segundo a autora e diretora Cleide Piasecki, a iniciativa procura a inclusão social dos surdos ao teatro, cumprindo a "Lei da Acessibilidade", em vigor desde 2000. Essa lei determina a eliminação de barreiras na comunicação, por meio de mecanismos e alternativas técnicas que tornem acessíveis os sistemas de comunicação e sinalização às pessoas portadoras de deficiência sensorial e com dificuldade de comunicação. O objetivo, além de garantir o direito de acesso à informação, à educação, ao trabalho e ao transporte, é garantir também o direito à cultura e ao lazer.

Cleide Piasecki (o mediador) integra o elenco com Fernando Bachstein (a Feia), Go Küster (o pai) e Raquel Rizzo (a mãe). A produção executiva é de Tânia Araújo, a coordenação e a execução da cenografia são de Leonardo Goulart.  O figurino é criação de Fernando Bachstein e a iluminação, de Victor Sabbag.

Serviço:

  • Espetáculo “A Feia”, de Cleide Piasecki
  • Data: de 13 a 30 de setembro de 2007
  • Local: Teatro Novelas Curitibanas – Rua Carlos Cavalcanti, 1.222
  • De quinta-feira a sábado, às 21h, e domingos, às 19h. Todas as sessões são apresentadas com legenda.
  • Ingressos: 1 lata de leite em pó