A covid-19 é doença ocupacional ou não?

304

Advogadas trabalhistas abordam tema que preocupa empresas em todo o país e que tende a trazer consequências de longo prazo

Com diversas idas e vindas de legislação quanto à caracterização da infecção pela covid-19 como doença ocupacional ou não, as empresas acabam sentindo grande insegurança jurídica quanto ao tema. Que medidas devem ser adotadas como prevenção, e quais as consequências de processos judiciais futuros?
As advogadas trabalhistas da Andersen Ballão Advocacia Rocheli Motta Cardoso Silveira e Ana Claudia Cericatto fazem m prognóstico do que se pode esperar para 2021 – visto que, como a matéria é muito recente, as principais complicações ainda devem estar por vir.
“Trata-se de um assunto extremamente delicado para as organizações e que suscita muitas dúvidas”, conta Rocheli.
A moderação será realizada por Edson Fernando Hauagge, sócio-coordenador do Departamento Trabalhista da Andersen Ballão Advocacia.

Sobre a Andersen Ballão Advocacia – Fundado em 1979, o escritório atua na prestação de serviços jurídicos nas áreas do Direito Empresarial e Comercial Internacional. Também possui sólida experiência em outros segmentos incluindo o Direito Tributário, Trabalhista, Societário, Aduaneiro, Ambiental, Arbitragem, Contencioso, Marítimo e Portuário. Atende empresas brasileiras e estrangeiras dos setores Agronegócios, Automotivo, Comércio Exterior, Energias, Florestal, Óleo e Gás, TI, e Terceiro Setor, dentre outros. Com a maioria dos especialistas jurídicos fluente nos idiomas alemão, espanhol, francês, inglês e italiano, o escritório se destaca por uma orientação completa voltada para a ampla proteção dos interesses jurídicos de seus clientes.