42% das empresas japonesas promovem ativamente mulheres para cargos importantes, diz pesquisa

242

Apenas 42,6% das empresas no Japão estão promovendo ativamente mulheres para cargos gerenciais, uma queda de 7,4 pontos em relação ao ano passado, de acordo com uma recente pesquisa privada, segundo a Kyodo News.

A Teikoku Databank Ltd., que conduziu a pesquisa em julho, disse que a desaceleração econômica provocada pela nova pandemia de coronavírus tornou as empresas menos focadas na promoção de mulheres.

Um número maior de empresas deu mais ênfase à manutenção do emprego em geral, disse.

De acordo com a pesquisa, 41 por cento dos entrevistados disseram não estar oferecendo ativamente cargos de liderança para funcionárias, um aumento de 7 pontos em relação a uma pesquisa semelhante no ano passado.

Na última pesquisa, 16,4 por cento disseram não saber se estão promovendo mulheres ativamente, um aumento de 0,4 ponto.

Das empresas que afirmaram estar promovendo ativamente as trabalhadoras, 71,8% disseram que isso lhes permite fazer uso total de recursos humanos talentosos, independentemente de gênero.

Quase 30 por cento disseram que isso leva a uma mudança na percepção das mulheres sobre o trabalho.

A pesquisa, entretanto, mostrou que as mulheres ocupavam em média apenas 7,8% dos cargos de gestão nas empresas, um aumento de 0,1 ponto percentual e ficando muito abaixo da meta de 30% estabelecida pelo governo japonês.

Apenas 21,7% disseram esperar um aumento no número de mulheres em cargos de liderança, indicando queda de 1,9 pontos neste item.

Por setor, varejistas, indústrias imobiliárias e de serviços estavam ansiosas para promover mais mulheres, enquanto o de construção e transporte não.

“Para promover mais trabalhadoras, é importante criar um ambiente agradável e confortável para trabalhar”, disse um funcionário do Teikoku Databank.

“Tal ambiente reduziria o fardo das mulheres nas famílias. A promoção do teletrabalho permitiria que mais pessoas trabalhassem de diversas maneiras.”

A pesquisa cobriu 23.680 empresas em todo o Japão, das quais 11.732, ou 49,5%, responderam.